Mostrando postagens com marcador dor. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador dor. Mostrar todas as postagens

domingo, 20 de setembro de 2015

Asas partidas!


         
            Se Deus não queria que voássemos
                   por que então me deu asas?
               Pois eu as tenho, tenho sim!
                         E a prova é que
de tanto voar em busca daquele raio de sol e
do tesouro lá no final do arco-iris de meu sonho,
há pouco tempo tive, para surpresa minha,
o diagnóstico que explicava toda a minha dor,
          e tudo o que tirava o meu sono:
       - Ruptura parcial nos dois ombros -
que, em linguagem mais simples é o mesmo que me dizer :
- Voaste tão incansavelmente contra o vento, e sempre tão alto,
                     que suas asas partiram-se!
      Então foi a fisioterapia e algumas agulhadinhas que
    milagrosamente me permitiram recuperar movimentos,
               dormir de novo e quase sem dor
         ( será que anestesiaram minha mente?)
      Agora também meu desejo adormece,
mas continuo a fortalecer-me, conselho mesmo do tal doutor...
E fico por vezes cismando, se o melhor de todos os remédios
não seria, para cada um de nós, poder de novo voar,
            até encontrar, um pouco mais de amor.....

foto e poema: vera alvarenga

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Carta a um amigo...

video


Carta a você, meu amigo Toninho...
   Nossa, como o tempo passou rápido,meu amigo!
   Sinto tanto saber que você está sofrendo de alguma forma! Outro dia mesmo, mais uma vez lembrei de vocês e pensei:
   - Como é que o Toninho conseguia trabalhar com o Alvarenga?! hehehe...lembra como vocês brincavam sobre aguentar um ao outro? Ah, tempos bons, né ? ( depois que ficamos bem de grana, claro!?) Nós 4 fomos mesmo, heróis nas nossas vidas. E ríamos muito juntos, lembra? 
   Quero que saiba, meu querido Toninho... sempre vou ser grata a você, por seus primeiros convites e insistência para o Alvarenga me levar para jantarmos juntos em tantos restaurantes,lembra? Foi você que começou isto, com aquele teu jeito social! Você sabe, cá pra nós, o Cesar tinha aquele jeito de não me convidar para as coisas sociais, não dava o braço a torcer, mas era ciumento, possessivo ..kkk......
   Com a Valéria, então, aprendi bastante e a admirava, pois eu tinha vindo lá de Bragança, onde passei anos dentro de casa, sem empregada, só cuidando da casa, marido e filhos.. e com Valéria, aprendi ( ela não sabe disto, pode contar, viu!) que tinha o direito de me vestir melhor ( pelo menos ir no Shopping e comprar roupas no C&A!!), e que mulher podia dizer o que pensava,  até nome feio ou contar piadinhas, não era feio não! Bem, pra ela não ficava feio ( sou fã dela!), eu nunca tive jeito pra contar piadas, levava a vida muito à sério ( tonta!!hehehe), mas com vocês, ria muito, lembra?
   Depois, começamos a sair para dançar no Restaurante Metrô, em Moema,lembra? Ôh, tempo bom! Então, eu e o Cesar criamos este "bom hábito"! Agora não posso mais dançar não...rs....você sabe, a artrose dói aqui e lá também! rs....... Mas é isto que eu queria lhe contar, Toninho. Sem que você soubesse, você foi muito importante para mim ( e Valéria) e será sempre! Não foi só um amigo do Alvarenga, meu amigo lindo, mas aquele que por ser amigo do Cesar, deu-lhe uma incentivada a acordar para o bem que nos faria sairmos juntos. E foi sempre muito bom, para nós quatro! As viagens e tudo o mais onde estivemos juntos, foram bons momentos e é isto que faz a nossa vida valer a pena, não é mesmo? Lembrar que vivemos bons momentos e fizemos a diferença na vida das pessoas.
   Mais uma coisinha, meu querido amigo. Quando moramos 10 anos em Floripa, longe dos filhos e amigos como vocês, eu me sentia muito solitária, ia para o meu jardim e ali, vendo as flores, observando-as em suas texturas, nas infinidades de cores e formas, padrões de seus desenhos e perfumes característicos, admirando-as quase em meditação, pude sentir, pela primeira vez na vida, a presença de Deus próximo a mim, como jamais antes tinha sentido! Não era uma coisa que eu pudesse pensar ou explicar, só sentir. Por isto, meu querido amigo, sugiro... se é que não está tomando ainda, tome FLORAIS DE BACH. A vida deste médico é muito emocionante! Peça para Juliana te contar sôbre ele. E ele conseguiu compreender que nas flores, estão essências que podia usar para as dores da alma e das nossas emoções. Ele tinha cancer e percebeu que, as flores tinham em si, o que era mais sublime, espiritual e desenvolvido, digamos assim, das coisas da natureza... acho que uma energia do bem e do belo, que tem reflexo também dentro de nós e na própria energia divina.
   Bem, meu  amigo, quero te abraçar carinhosamente,beijar seu rosto e lhe dizer, obrigada Toninho, pelas inúmeras horas que passei de alegria em minha vida, na companhia de vocês!! Abraço também a seus filhos e à especial Juliana, que tenho certeza, são bençãos na vida de vocês dois.
   Para você, Valéria, meu carinho e solidariedade de mulher que compreende o quanto seu coração deve ficar espremido aí no peito, quando vê seu querido sofrer.
   Beijo, Toninho, fiquem com Deus...e meu desejo de que você consiga tranquilizar seu coração e que dores não te judiem, meu querido. Tenha a certeza de que seu amigo Cesar te gosta muito também.
  Beijos a todos
  Vera Alvarenga.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

" O lago negro"

   O bruxo sentenciou: " Você só voltará a ser feliz, quando uma mulher olhar pra você com amor.."
...depois da transformação, o príncipe viu sua imagem no lago...o que ele realmente era, continuava apenas dentro dele, escondido sob aquela grotesca figura refletida na água.
   Não poderia mais aproximar-se das pessoas que amava, com o mesmo rosto que tivera antes, e assim desfigurado jamais receberia o olhar amoroso que lhe devolveria a alegria. Estava condenado à solidão.
   Sua dor foi tamanha, que seu rouco grito de tristeza ecoou na floresta e escureceu os céus! Todos se recolheram.
   Apenas um pássaro branco ficou ali, num tronco da árvore, a seu lado. Tocada pela dor daquele homem que temia perder o amor para sempre, a ave chorou com ele. Suas lágrimas caíram no lago, cuja água imediatamente ficou negra. E a ave disse:
   - "Jamais o bruxo que o condenou a este sofrimento poderá ver-se refletido aqui, e nunca mais poderá beber desta água para saciar sua própria sede insaciável." ..............

Texto e foto : Vera Alvarenga

  

Clic para compartilhar com...

Compartilhe, mas mantenha minha autoria, não modifique,não uso comercial

 
BlogBlogs.Com.Br
diHITT - Notícias